Oferta!

Da produção de segurança

R$24,90 R$18,60

Molinari foi ainda mais longe e expandiu a lógica dos argumentos às suas últimas consequências, concluindo que o mercado também era melhor para prover aquele serviço que o estado alegava ser seu monopólio: a segurança.  Desta maneira, sua contribuição ímpar foi a de nos distanciar da falsa suposição de Hobbes de que, por alguma razão, o estado seria necessário para evitar que a sociedade se degenerasse no caos.  Ao contrário, argumenta Molinari, a sociedade voluntária é a fonte da ordem, a qual se origina na própria liberdade.  Não há nenhuma contradição, ou mesmo tensão, entre a liberdade e a segurança.  Se a livre iniciativa funciona bem em um setor, ela também pode funcionar bem em outros setores.  Molinari era de fato um radical, mas no sentido de ter prenunciado como seria a evolução do pensamento libertário: um radical na defesa do capitalismo em todas as áreas da vida, que é apenas outra forma de dizer que ele era um consistente defensor da sociedade completamente livre.  Talvez possa ter existido uma época em que as pessoas poderiam considerar benigno o monopólio do governo sobre a polícia e os tribunais, uma atribuição indelével do estado defendida pelos liberais-clássicos dos velhos tempos.  Mas o inexorável avanço do estado policial alterou esta visão: agora estamos mais aptos a entender que os serviços de “segurança” estatais são a mais grave ameaça à liberdade que podemos enfrentar.  Neste sentido, Molinari é o homem do momento.

Em estoque

Categoria:

Informação adicional

Peso 57 g
Dimensões 0.4 × 16 × 23 cm
Autor

Molinari, Gustave de

Capa comum

50

Editora

LVM Editora

Idioma

Português

ISBN-13

9788581190839

Número da edição

1

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Da produção de segurança”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *